‘Decorar para Humanizar’

Home  |  Sidearea   |  Blog   |  ‘Decorar para Humanizar’

‘Decorar para Humanizar’

Decorar para Humanizar é o tema do projeto solidário que a Antarte está a levar a cabo. A desenvolver ações de responsabilidade social há quase duas décadas, com mais ou menos visibilidade, a pretensão destas iniciativas é claramente conseguir ajudar o próximo através do envolvimento da comunidade promovendo uma cultura de proximidade e um sentimento de entreajuda para com o próximo.
2019 será marcado pela intervenção da Antarte no Centro Materno Infantil, inserido no Hospital de Santo António, no Porto. A intervenção em algumas destas áreas vai permitir mobilar e decorar alguns espaços utilizados por famílias e crianças frequentadores destas salas em regime de ambulatório.
Aproveitando a celebração dos 15 anos do icónico Cabide-Árvore, uma das nossas peças de autor mais emblemáticas, usando como simbologia associada a forma de celebrar a vida e o futuro destas novas gerações, o desafio foi lançado e bem aceite. Multiplicaram-se as reuniões com a equipa Antarte e as ideias foram fluindo para conseguir alcançar um projeto repleto de cor e alegria, já que do ponto de vista arquitetónico a estrutura é irrepreensível.

O objetivo está muito presente e é concreto. A Antarte quer, de forma inequívoca, contribuir para o bem-estar psicológico das crianças e diminuir os tempos de recuperação, aproximando a realidade destes espaços a um verdadeiro lar, com características acolhedoras e humanizadas.
A melhor forma de dar corpo e alma a este projeto foi associar 15 personalidades ao 15º aniversário do Cabide-Árvore, lançando-lhes o desafio da personalização. 15 autores vão poder dar voz ao seu trabalho, trabalhar na peça original e cunhar as suas impressões. O resultado será apresentado publicamente e as peças serão leiloadas como forma de complementar os 70 mil euros que a Antarte terá de disponibilizar para implementar o projeto Decorar para Humanizar no Centro Materno Infantil do Porto.

Chakall, Custódio Almeida, Francisco Laranjo, Guilherme Mampuya, Isa Silva, Joana Vasconcelos, Katty Xiomara, Kruella D’Enfer, Manuel Casal Aguiar, MrDheo, Paulo Neves, Pedro Guimarães, Tim e Zulmiro Carvalho, assim como as Faianças Artísticas Bordallo Pinheiro aceitaram este desafio.

E para tão nobre projeto, um nobre padrinho. José Ramos-Horta, Prémio Nobel da Paz em 1996, e grande defensor dos direitos humanos apadrinhou esta iniciativa. É muito modesto na abordagem e refere que está sempre disponível para abraçar estas causas. Considera que apoiar projetos com crianças é sempre algo de grande responsabilidade, mas ao mesmo tempo muito gratificante. Não importa se as crianças são de um país pobre ou de um país rico. Crianças são crianças e não há lugar para fronteiras. O mais importante é poder ajudar!

 

(…)
Publicado na DESIGN FOR LIFE #2

PREV

Conforto Antarte no Portugal Fashion

NEXT

Rafael Moneo: O arquitecto que deixou Thatcher furiosa